As crianças em idade escolar entre 6 a 8 anos gostam de ficar on-line para assistir a vídeos, jogar e se conectar com amigos e familiares. Eles também podem estar usando a internet para trabalhos escolares e trabalhos de casa. Eles podem fazer isso usando computadores, telefones celulares, tablets, TVs e outros dispositivos.

Como as crianças em idade escolar estão começando a ser independentes on-line e podem ficar on-line sem supervisão, há  mais riscos de segurança na Internet do que nas crianças mais novas. Existem riscos específicos se o seu filho usa a Internet para se comunicar com outras pessoas – por exemplo, nas mídias sociais ou nos jogos.

Ao tomar algumas precauções práticas de segurança na Internet, você protege seu filho de atividades e conteúdos arriscados ou inadequados. E  seu filho pode aproveitar ao máximo sua experiência on-line , com seu potencial de aprender, explorar, ser criativo e se conectar com os outros.

Riscos na internet:

  1. Riscos de conteúdo
    Para crianças em idade escolar, esses riscos incluem coisas que eles podem achar perturbadoras, repugnantes ou desconfortáveis, se encontrarem acidentalmente. Isso pode incluir  pornografia, imagens de crueldade com animais e violência real ou simulada.
  2. Riscos de contato
    Esses riscos incluem crianças que entram em contato com pessoas que não conhecem ou com adultos que se apresentam como crianças on-line. Por exemplo, uma criança pode ser persuadida a conhecer alguém que não conhece, compartilhar informações pessoais com estranhos ou fornecer detalhes de contato depois de clicar em mensagens pop-up.
  3. Conduzir riscos
    Esses riscos incluem crianças que agem de maneiras que podem prejudicar outras pessoas ou que são vítimas desse tipo de comportamento. Por exemplo, uma criança pode deletar um jogo que seu amigo ou irmão criou. Outro risco de conduta é acidentalmente fazer compras no aplicativo dos pais.

Protegendo seu filho:

Você pode usar várias estratégias diferentes para ajudar seu filho em idade escolar a se manter seguro enquanto estiver usando a Internet.

Aqui estão algumas idéias:

  • Crie um  plano com a família dos uso da internet. É melhor criar seu plano com seu filho e pedir sugestões. Seu plano pode abranger coisas como áreas sem tela em sua casa, regras de segurança da Internet como não fornecer informações pessoais e programas e aplicativos que seu filho pode usar.
  • Use mecanismos de pesquisa adequados para crianças.  
  • Verifique se jogos, sites e programas de TV são apropriados para o seu filho. 
  • Use a internet com seu filho ou verifique se você está por perto e ciente do que seu filho está fazendo enquanto está online. Dessa forma, você pode agir rapidamente e tranquilizar seu filho se ele estiver preocupado ou chateado com algo que viu online.
  • Verifique as configurações de privacidade e os serviços de localização, use o controle dos pais, use as configurações de pesquisa segura em navegadores, aplicativos, mecanismos de pesquisa e YouTube.
  • Denuncie no site https://new.safernet.org.br/denuncie  – quando encontrar conteúdos inadequados, ofensivos, que prejudiquem crianças, adolescentes, adultos.
  • Bloqueie compras no aplicativo e desative as opções de pagamento com um clique nos seus dispositivos.
  • Certifique-se de que os irmãos mais velhos sigam suas regras de segurança da Internet, como assistir apenas a programas apropriados para a idade quando estiverem online com crianças mais novas.

A confiança entre você e seu filho ajuda a mantê-lo seguro online. Conversas abertas e calmas sobre o uso da Internet podem ajudar seu filho a sentir que você confia que ele seja responsável on-line. E se seu filho se sente confiável, é mais provável que você converse com você sobre o que faz on-line e fale sobre conteúdo e contatos on-line que a preocupam.

É melhor  evitar o uso de aplicativos de vigilância que permitem monitorar secretamente a atividade on-line do seu filho. O uso desses aplicativos envia a mensagem de que você não confia em seu filho. É melhor falar abertamente sobre o seu próprio uso da Internet e incentivar seu filho a fazer o mesmo.

Se você optar por monitorar o uso da Internet do seu filho enquanto ele estiver on-line ou revisando o histórico do navegador, é bom conversar primeiro com ele.

Você pode ajudar seu filho a aprender a usar a Internet de forma segura, responsável e divertida. Se você ensinar seu filho a gerenciar riscos de segurança na Internet e experiências preocupantes, ele criará  resiliência digital . Essa é a capacidade de lidar e responder positivamente a qualquer risco que ela encontre on-line.

Você pode fazer isso:

  • Ficando online com seu filho
  • Conversando com seu filho sobre conteúdo online
  • Sendo um bom modelo
  • Ensinando seu filho a ter cuidado com as informações pessoais
  • Ensine seu filho a evitar compras on-line
  • Falando sobre o comportamento online apropriado

Ficar online com seu filho oferece a oportunidade de ver os aplicativos ou jogos que ele reproduz ou os vídeos que ele assiste.

Você pode  compartilhar a experiência do seu filho enquanto também verifica se o conteúdo é apropriado. Uma maneira de fazer isso é fazer perguntas que demonstrem interesse no que seu filho está fazendo – por exemplo, ‘Isso parece um jogo interessante. Você pode me ensinar a jogar também?

Você também pode  mostrar sites divertidos, interessantes ou educacionais para seu filho e mostrar a ele como marcá-lo como favorito para mais tarde. Você pode ajudar seu filho a encontrar as informações necessárias para fazer a lição de casa usando o tipo certo de palavras para sua pesquisa. 

Se você encontrar  anúncios pop-up enquanto estiver on-line juntos, é uma boa oportunidade para conversar com seu filho sobre não clicar neles. Você pode explicar que os anúncios pop-up podem levar a sites com fotos desagradáveis ​​ou sites que desejam suas informações pessoais ou financeiras.

Explicar sobre conteúdos da internet

É uma boa ideia  explicar ao seu filho que a Internet tem todo tipo de conteúdo e que parte dele não é para crianças.

Você pode explicar que existem controles dos pais, configurações de navegação segura e filtros da Internet configurados na maioria dos dispositivos para ajudar a proteger as crianças contra conteúdo inapropriado. Mas isso não é garantia e seu filho ainda pode encontrar conteúdo inapropriado.

Portanto, também é uma boa ideia  incentivar seu filho a conversar com você se ele vir algo que o preocupa. Por exemplo, você pode dizer: ‘Às vezes as pessoas colocam coisas horríveis na internet. Algumas são feitas e outras são reais. Se você vir algo que o perturbe ou a que se sinta desconfortável, me avise ‘.

Se você  citar algumas coisas a serem observadas , isso pode ajudar seu filho a identificar material inadequado sozinho. Por exemplo, ‘Se você vir um site com imagens assustadoras ou rudes, palavrões ou palavras de raiva, entre em contato. Não é um bom site para você olhar ‘.

Você também pode explicar que nem todas as informações na internet são verdadeiras ou úteis – por exemplo, algumas notícias são feitas. Incentivar seu filho a questionar as coisas que encontra na internet o ajuda a desenvolver a capacidade de saber se um site tem informações de boa qualidade. Isso faz parte da alfabetização digital e de mídia.

Os pais precisam ser um bom modelo de utilizar a internet com segurança

Seu filho aprende com você. Isso significa que você pode modelar o uso seguro e saudável da Internet usando a mídia digital da maneira que deseja que seu filho use agora e no futuro. Por exemplo, você pode manter os dispositivos conectados à Internet fora dos quartos e usar a tecnologia para fins positivos, como enviar mensagens de suporte aos amigos.

Cuidar das informações pessoais

É uma boa ideia garantir que seu filho saiba não se comunicar on-line com pessoas que não conhece pessoalmente. Isso é particularmente importante se seu filho estiver usando redes sociais no jogo.

Incentive seu filho a:

  • dizer se alguém que ele não conhece entra em contato com ele online
  • não forneça informações pessoais. Você pode dizer: ‘Algumas pessoas on-line são falsas e trapaceiras. Nunca diga a ninguém on-line seu nome, endereço, número de telefone ou data de aniversário ‘
  • não insira informações pessoais em sites ou competições de jogos. Você pode pedir ao seu filho para verificar com você antes de preencher qualquer competição ou associação on-line
  • pergunte antes de ele usar um novo aplicativo, para que você possa mostrar a ele como verificar as configurações de privacidade para manter suas informações pessoais em segurança.

Você pode ajudar a interromper as compras acidentais no aplicativo desativando as compras no aplicativo e os pagamentos com um clique em seus dispositivos.

Também é uma boa ideia para você e seu filho concordar com regras claras sobre não aceitar compras no aplicativo. Você pode dizer: ‘Muitas pessoas querem nosso dinheiro, mas é importante que não o desperdicemos em coisas que não precisamos. Se você quiser comprar um novo jogo ou algo do jogo, pergunte-me ‘.

Conversar com seu filho sobre comportamento on-line apropriado e inadequado ajudará seu filho a aprender como se manter seguro. Por exemplo, você pode:

  • diga ao seu filho para não fazer ou dizer nada on-line que ele não faria ou diria cara a cara com alguém
  • incentive seu filho a pensar antes de postar fotos ou comentários
  • ajude seu filho a se afastar dos argumentos on-line. Você pode dizer: ‘Amigos podem dizer coisas que não querem dizer. É bom deixar as pessoas superarem o humor e não conversar com elas on-line por um tempo ‘.

Fonte: https://raisingchildren.net.au/school-age/play-media-technology/digital-safety/internet-safety-6-8-years

Marina S. R. Almeida

Consultora Ed. Inclusiva, Psicóloga Clínica e Escolar

Neuropsicóloga, Psicopedagoga e Pedagoga Especialista

Licenciada pelo Conselho Federal de Psicologia para atendimento de Psicoterapia on-line

CRP 06/41029

Agendamento para consultas presenciais em consultório:

INSTITUTO INCLUSÃO BRASIL

(13) 34663504 e WhatsApp (13) 991773793

Rua Jacob Emmerich, 365 sala 13 – Centro – São Vicente-SP

CEP 11310-071

marinaalmeida@institutoinclusaobrasil.com.br

www.institutoinclusaobrasil.com.br

Agendamento para consultas de psicoterapia on-line:

Psicóloga Marina Almeida

Licenciada pelo Conselho Federal de Psicologia para atendimento de Psicoterapia on-line

CRP 06/41029

Email: casa@casadosinsights.com.br

WhatsApp (11) 94940-0065

https://casadosinsights.com.br/